15 de set de 2011

Epicondilite

A epicondilite é uma inflamação crônica na região dos epicôndilos, que situa-se próxima ao cotovelo. Pode afetar desportistas ou indivíduos que realizam atividades repetitivas com o braço. Esta lesão pode afetar quem exerce funções como digitação, movimentos finos com o punho e cotovelo, entre outras diversas situações. Neste caso, o mecanismo de lesão é a repetição de movimento, que a longo prazo acarreta dano ao tendão dos músculos envolvidos.
As lesões decorrentes de atividade desportiva podem ocorrer pelos seguintes mecanismos:
Epicondilite medial (cotovelo de golfista): ocorre, geralmente, como resultado do microtrauma repetitivo no músculo pronador redondo e no músculo flexor radial do carpo, durante a pronação e a flexão do punho. Em geral, o paciente queixa-se de dor na região medial do cotovelo, que é exacerbada durante o arremesso da bola de beisebol, durante o saque ou o golpe de direita nos esportes de raquete, durante a puxada na braçada para trás na natação ou durante a batida na bola de golfe, caso em que o braço suspenso é o afetado.
Epicondilite lateral (cotovelo de tenista): ocorre por microtrauma repetitivo, que resulta na sobrecarga concêntrica ou excêntrica dos extensores e supinadores do punho, mais comumente, o extensor radial curto do carpo. A dor está presente ao longo da região lateral do cotovelo, particularmente na origem do extensor radial curto do carpo. A dor aumenta na flexão passiva do punho com o cotovelo estendido e na flexão dorsal resistida do punho.
A fisioterapia é essencial na reabilitação das epicondilites, tendo como objetivo diminuir a dor, a inflamação, melhorar a amplitude de movimento e restabelecer a força dos músculos envolvidos.
Texto: Daniel Wentz Agostini
Revisão e edição: Leonardo da Rosa Leal e Leonardo Fratti Neves

Nenhum comentário:

Postar um comentário